Bloco de apontamentos: nem de Pedro, nem de Paulo

De quando em vez levanta-se um coro de vozes, quer do lado de dentro quer do lado de fora da própria Igreja Católica, advogando que os padres deviam casar e que as mulheres deviam ser ordenadas sacerdotisas. Para além disso estabelecem que o papa A é mais carismático do que o papa B, que o bispo C é melhor do que o bispo D, que o padre E é superior ao padre F.

Ler mais....

Ronaldo, será que desta vez foi fora de jogo?

Quando menos se espera, o inesperado acontece... A maior imagem de marca do nosso país parece que foi ao tapete, mas será que tudo isto não passa de uma estratégia muito bem concebida por uma impostora que pretende apenas extorquir dinheiro e arruinar a imagem de um ídolo para os demais em todo mundo?

Ler mais....

Ensino superior – um desafio

Para muitos jovens como eu estas últimas semanas têm sido marcadas pela entrada num novo mundo, numa nova vida, num novo projeto: o ingresso no ensino superior. A faculdade nada tem a ver com o ensino secundário. É tudo diferente. Tudo novo. A adaptação é grande e não é, de todo, facilitada pela generalidade das instituições.

Ler mais....

É bom viver em Torres Vedras

Já em tempos abordei nas páginas deste jornal o quanto é bom viver em Torres Vedras (na minha opinião, pois então). Mantenho o mesmo ponto de vista alicerçado na minha própria vivência diária, reforçado ainda, quiçá, pelo facto de ter vivido 10 anos no estrangeiro, o que “nos ensina” a valorizar ainda mais o que é nosso.

Ler mais....

Descentralizar e (re)ocupar o interior

A recente polémica com a eventual transferência para o Porto do INFARMED veio reintroduzir na opinião pública a questão do abandono do interior do país. Esse abandono, como é do domínio público, ocorreu há mais de 30 anos na sequência da nossa adesão à então CEE. Foi um crime de gestão danosa dos nossos recursos naturais, pelo qual nunca os respectivos responsáveis (criminosos) foram chamados a prestar contas nos tribunais competentes.

Ler mais....

Bloco de apontamentos: uma nova ordem

O mundo anda demasiadamente, instável, perigoso e inseguro. Não há dia que passe em que não apareçam notícias de conflitos e tumultos, revoltas e manifestações reivindicativas contra a ordem estabelecida. Guerras e guerrilhas, e já não é só e apenas nos chamados regimes políticos de sinal totalitário de esquerda ou de direita, as democracias também já dão sinais evidentes de muitas insatisfação e agitação social.

Ler mais....

Memória, Ruína e Palimpsesto - da exposição “Aprendiz do Tempo” (Pedro Sobreiro) – Galeria Paços

Este breve texto surgiu ao mesmo tempo que o meu olhar ficava cativo em frente de cada uma daquelas “potenciais pinturas” - como diz o autor no catálogo -, e isso significava um agradável sinal de conexão entre o pensamento e a perceção visual entre o conhecimento e a partilha do sensível. Escrevi-o também como motivo de singela homenagem ao José Pedro Sobreiro (JPS), aprendiz do tempo e mestre de longa memória.

Ler mais....

E viva a República!

Na passada semana assinalou-se mais um ano de República e dos valores que lhe estão subjacentes. Ao longo dos 108 anos que leva de implementação a República é hoje assumida quase como natural e, queira-se ou não, muitos consideram qua a vida foi sempre assim e desvalorizam esta comemoração. Mais ou menos jovens indiferentemente comemoram-na, mais ou menos jovens da mesma forma ignoram-na.

Ler mais....

«Que ricos moinhos na Silveira!», in “Correio do leitor” datado de 05out18 – Resposta

Lá diz o velho e sábio adágio popular: “quem não se sente, não é filho de boa gente”. Isto vem a propósito de um comentário neste semanário dum leitor acerca de um artigo da minha lavra recentemente publicado e no qual verti apreço pela obra, o que reitero na íntegra.

Ler mais....

Basta!

Finalmente, pais e outros parentes das crianças da  Escola/Jardim de Infância e 1º Ciclo Padre Francisco Soares decidiram dizer “basta!” à escandalosa situação da inexistência de um parque ou pátio de recreio decente que não seja o atual átrio em cimento e da proximidade de milhares de pombos e pardais nas árvores que se debruçam sobre aulas e refeitório.

Ler mais....

Proibido lamentar-se

Li, por estes dias, uma nota digna de destaque: o papa Francisco colocou na porta do seu gabinete de trabalho um sinal associado à legenda “proibido lamentar-se”. O tal cartaz terá sido oferecido ao pontífice numa audiência na Praça de São Pedro, em Roma.

Ler mais....

FacebookYoutubePicasa

Visitantes

mod_jvcountermod_jvcountermod_jvcountermod_jvcountermod_jvcountermod_jvcountermod_jvcountermod_jvcounter
275
936
18987
20

Acesso Assinantes